170 milhões de euros para ligar a Europa ao Brasil, através de Sines, com um cabo submarino de dados

A primeira transmissão de dados entre a Europa e o Brasil, a partir de Sines, está prevista para o final do ano de 2020, num investimento de 170 milhões de euros, que prevê a instalação de um cabo submarino transatlântico vai ligar a Sines (Europa) a Fortaleza (Brasil).

Esta infraestrutura, denominada Ellalink, será implementada no âmbito do projeto BELLA (Building European Link to Latin America), que agrega as redes de ciência europeia e sul-americana, e é financiado pela Comissão Europeia e por fundos privados. O cabo submarino passará ainda por Cabo Verde e pela ilha da Madeira, instalando uma capacidade de transmissão de dados de 73 terabits por segundo.

O presidente da Câmara Municipal de Sines, Nuno Mascarenhas, afirma que “Estamos em contacto com o consórcio responsável pela instalação do cabo, o consórcio EllaLink, que construirá em Sines a infraestrutura de receção do cabo e a estação de tratamento de dados, a localizar na Zona Industrial e Logística de Sines, da aicep Global Parques”.

A instalação do cabo EllaLink permitirá o desenvolvimento de um novo hub digital e de inovação em Sines. Estamos a trabalhar com o consórcio responsável pela instalação do cabo e também com a aicep, no sentido de captar investimento tecnológico e digital para o concelho, o que contribuirá para a diversificação da nossa economia local e para a criação de um novo cluster em Sines. A representação do Alentejo em Bruxelas encontra-se, igualmente, em condições de prosseguir este trabalho de acompanhamento. Este é um projeto que não é de Sines, é europeu, sul-americano e global”, diz Nuno Mascarenhas.

A digitalização da economia é hoje um dado adquirido. O Brasil não tem nenhuma ligação direta à Europa, e, do ponto de vista económico, o facto de Sines ser a porta de entrada deste cabo submarino é a reafirmação da importância estratégica deste concelho”, assinala o presidente da Câmara Municipal de Sines

A instalação do cabo submarino transatlântico, que vem abrir um enorme conjunto de potencialidades para o desenvolvimento da economia digital em Sines, dominou todos os encontros.