“2019 vai ser o grande ano de afirmação da candidatura de Évora a Capital Europeia da Cultura”, diz Carlos Pinto de Sá (c/som)

A Cidade de Évora assumiu, este ano, a candidatura a Capital Europeia da Cultura 2027. Uma candidatura estruturada em torno de uma Comissão Executiva constituída pelas seguintes entidades: Câmara Municipal de Évora, Turismo do Alentejo ERT, Direção-Regional de Cultura do Alentejo, Universidade de Évora, Fundação Eugénio de Almeida, Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Alentejo e Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo.

Em declarações ao “ODigital.pt”, o Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto de Sá, fala sobre a candidatura e diz que “terminámos a primeira fase, onde avaliámos a viabilidade da candidatura, onde visitámos capitais que foram Capital Europeia da Cultura ou estão a ser”, acrescentando que nesta primeira fase foram ainda abordados “os vários requisitos necessários para a candidatura e agora estamos em condições e isso vai ser feito durante o ano de 2019, fazer o lançamento e fazer a afirmação pública da candidatura”.

Carlos Pinto de Sá garante que “o ano de 2019 vai ser o grande ano de afirmação da candidatura de Évora a Capital Europeia da Cultura com uma grande cooperação entre todas as entidades que já integram a comissão executiva e que vamos alargar a todas as associações, sociedade, cidadãos, para que Évora apareça com vontade de vencer a candidatura e de ter um projecto vencedor, inovador, com a sua identidade e que possa afirmar o Alentejo que tem uma cultura única, como aliás já é percetível com as atribuições das distinções da UNESCO que vêm sendo sucessivas.”

Questionado se um dos fundamentos desta candidatura era a forte identidade cultural de Évora, o edil afirma que “é esta identidade que nos diferencia do resto do mundo, ninguém tem esta identidade e portanto é nesta identidade que temos que basear a nossa candidatura mas queremos ir muito mais além”, deixando claro que nesta candidatura “queremos não só ver o que são as nossas raízes, mas também ver o futuro, a inovação, ligarmos a outras áreas, não apenas a da cultura, mas outras áreas da vida e da sociedade e é isso que estamos a preparar mas não vou agora aqui abrir mais do que isso, até porque estamos em conjunto a trabalhar nesse sentido.”

Já sobre uma possível data para a entrega da candidatura, o autarca diz que “não temos ainda datas. Vamos ter um primeiro seminário em meados de Fevereiro.”

Recomendado