Alandroal recebeu Encontro do Mar para “tentar falar do mar no sentido alargado, porque o mar é o sítio onde tudo vai parar” (c/som)

A vila de Alandroal recebeu esta terça-feira, 12 de Março, a iniciativa “Encontro do Mar”, promovido pela Associação Economia Azul e integrado no programa da X Mostra do Peixe do Rio de Alandroal.

Durante a tarde falou-se sobre as potencialidades do Grande Lago Alqueva, bem como das actividades que são dinamizadas nas margens do Alqueva.

ODigital.pt esteve presente e falou com o Vice-Presidente da Câmara de Alandroal, João Balsante, que falou sobre o evento dizendo que “o principal objectivo dos Encontros do Mar e parece um contrassenso falar do mar, no Alentejo, principalmente aqui no nosso concelho que tem a ver com o Lago Alqueva, como o aproveitar com a restauração, as actividades náuticas ou seja, todo o potencial que o lago pode trazer.” O Autarca refere ainda que “outra das grandes preocupações que nós temos, é atrair investimento mas não apenas pelo investimento em si mas sim um investimento que seja sustentável, amigo do ambiente, e acima de tudo que ajude os nossos porque a falta de emprego aqui é muita e penso que o Lago Alqueva pode ser solução ao nível do emprego e da criação de emprego.”

Falamos ainda com José Barata, da Associação Economia Azul, que falou um pouco destes Encontros do Mar, referindo que “nós temos tido a preocupação de há uns anos a esta parte, não muitos, e tentar falar do mar no sentido alargado porque o mar é o sítio onde tudo vai parar, mesmo que se deita em terra mais tarde ou mais cedo ao mar vai parar. E o mar por outro lado e em contrapartida tem imensas potencialidades”, salientando que “o Alentejo antigamente as pessoas diziam que era um sitio de sequeiro, e agora a nossa preocupação é que as pessoas olhem para o mar no sentido positivo, não é com medos nem com receios, mas sim para ver as oportunidades. Ou seja, o mar tem que ser tratado das duas maneiras, por um lado tem de se ter cuidado com ele e por outro lado há que aproveitar as oportunidades. Esta é a nossa ideia.”

Sobre as potencialidades do Alqueva apresentadas neste seminário e a sua sustentabilidade ou não, José Barata diz que “aqui, já vimos a apresentação de um projecto muito interessante para o Alqueva com um turismo que vai ser feito com grande captação de pessoas no estrangeiro. Já vimos aqui propostas de um dos nossos delegados a sugerir eventos que atraiam pessoas. Ou seja, há oportunidades concretas, reais e simples, para aplicar e em que não são precisos grandes investimentos. É preciso é que as pessoas pensem nisso e quando as pessoas pensarem, isso acontece.