Aldeia do Lousal vai receber um projecto que pretende contrariar a falta de coesão social e de oferta de emprego

O Auditório do Centro Ciência Viva da aldeia do Lousal, no concelho de Grândola, recebe no próximo sábado, pelas 16 horas, a apresentação publica do projecto “Estrai: Arte e Comunidade em Acção”.

O projecto apresentado trata-se de uma programação de residências na aldeia mineira do Lousal, uma povoação com claros problemas sociais fruto do fim da actividade mineira em 1988.

Segundo a autarquia de Grândola, “este projecto, propõe trabalhar o papel social e cultural que a memória mineira e as suas organizações representaram e ainda significam para o imaginário da região, através da criação de cinco residências artísticas estendidas ao longo de um ano, que têm as artes visuais na sua expressão pública como ferramenta para o trabalho social.”

A edilidade acrescenta ainda que “hoje, a aldeia do Lousal enfrenta sérios problemas socioculturais e demográficos provocados pelo fim da actividade mineira. A população está envelhecida, e verifica-se uma grande falta de coesão social e de oferta de emprego. O projecto EXTRAI propõe-se contrariar esta realidade através de uma candidatura submetida à Direcção Geral das Artes no domínio da “Programação e Desenvolvimento de Públicos” (concurso para “Apoio a Projectos – Programação e Desenvolvimento de Públicos 2019”), em parceria com as entidades formais existentes, procurando implementar um programa de valorização identitária do território através da arte pública, com o envolvimento comunitário do Lousal.”

O projecto é financiado pela Direção Geral das Artes, Município de Grândola e a Associação Cultural OUTRA. O projecto tem ainda como parceiros a Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, Ciência Viva – Centro Ciência Viva do Lousal, Casa do Povo de Azinheira dos Barros – Centro Comunitário do Lousal e Freguesia de Azinheira dos Barros, que apoia institucionalmente o projecto.

Recomendado