Alentejo integra, com várias estações, a Rede de Alerta de Radioactividade no Ambiente

A rede de monitorização de emergência RADNET, gerida pela APA – Agência Portuguesa do Ambiente, é a rede nacional de alerta de radioactividade no Ambiente constituída por várias estações que medem em contínuo a radiação gama no ar, disponibilizando informação ao público no site da APA.

Para além de estações fixas, a RADNET inclui ainda 2 estações portáteis e 1 estação instalada numa viatura que podem ser colocadas onde necessário com o objectivo de densificar a rede em caso de emergência e substituir temporariamente estações inoperacionais.

Está em curso, desde 2013, um processo de melhoria e de ampliação da RADNET através da substituição de estações antigas por modelos de última geração e da instalação de novas estações, prevendo-se sua conclusão até ao final de 2020. O investimento global envolvido neste processo é de cerca de 2,5 milhões de euros com origem em verbas POSEUR, INTERREG e do orçamento próprio da APA.

À data, a RADNET é constituída por 19 estações, mais 5 que em 2013 (em realce), das quais:

— 17 estações para monitorizar a radioactividade ambiente no ar, instaladas em Bragança, Junqueira, Porto, Penhas Douradas, Coimbra, Barragem de Meimoa, Castelo Branco, Abrantes, Portalegre, Elvas, Lisboa, Évora, Sines, Beja, Faro, Ponta Delgada e Funchal;

— 2 estações para monitorizar a radioatividade no rio Tejo e no rio Douro, instaladas na Barragem de Fratel e na Barragem do Pocinho.

De referir ainda a substituição dos equipamentos de 9 das 14 estações mais antigas também por novos modelos, incluindo a estação instalada na Barragem de Fratel.

Até ao final de 2020, serão substituídos os equipamentos das restantes 5 estações (Porto, Penhas Douradas, Portalegre, Elvas e Beja) pelos novos modelos e também uma nova estação de monitorização de radioatividade no ar na zona norte do distrito de Viana do Castelo (previsivelmente em Monção) e uma nova estação de monitorização da radioatividade na água no Rio Guadiana (previsivelmente na Juromenha, Alandroal). Para alem disso, a rede será ainda dotada de 3 estações automáticas para a monitorização de aerossóis radioativos e iodo radioativo a instalar em Vila Real, em Abrantes e em Évora.

Em resumo, a RADNET a partir do final de 2020, será constituída por 24 estacões fixas que permitirão garantir a monitorização de radioatividade no ar e na água, neste caso, nos 3 principais rios nacionais, cobrindo o norte, centro e sul do país.

Com esta melhoria significativa da RADNET, Portugal fica dotado de uma rede moderna, com uma cobertura territorial adequada e com capacidades aumentadas para a deteção e identificação dos radioisótopos que estão na origem de qualquer alarme.

Distribuição das estações da RADNET no final do processo de expansão e modernização.

O mais visto