Alentejo prevê um aumento na produção de vinho entre 5 e 10%

A região do Alentejo poderá ter nesta vindima um aumento na produção de vinho entre 5 e 10% superior ao de 2018.

A CVRA (Comissão Vitivinícola Regional Alentejana) recorre, desde há 20 anos, à previsão pelo método polínico (recolha de pólen na fase de floração) através de parceria com a Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, que aponta nas suas previsões para a subida na produção. Caso a previsão se concretize, a região poderá produzir entre 115 a 120 milhões de litros, volume superior à média dos últimos 5 anos, que foi de 110 milhões.

Francisco Mateus, presidente da CVRA, assinala que “a previsão é um instrumento essencial para calcular o nível de stocks e a capacidade de resposta às necessidades do mercado”, mas adianta que “serão as condições climatéricas a ditar a quantidade de uvas que se vai produzir no Alentejo”.

A região, cuja dimensão está entre as maiores de Portugal, com cerca de 22.500 hectares de vinha, já tem produtores a vindimar, antevendo-se que as operações de vindima possam decorrer até ao final do mês de Setembro.