Alentejo terá em breve uma bio-região avança o Sec. Estado do Desenvolvimento Rural (c/som)

A agricultura biológica, a sustentabilidade e as bio-regiões têm nos últimos meses sido alvo de reflexões um pouco por todo o país, sendo que o governo português está a criar bio-regiões pro forma a que os agricultores e produtores biológicos, os cidadãos, os operadores turísticos, as associações e o poder local e intermunicipal estabeleçam um acordo para a gestão sustentável dos recursos locais, partindo do modelo biológico de produção e consumo.

O Secretário de Estado do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, adiantou ao ODigital.pt que está a ser criada uma bio-região no Alentejo e que envolve os municípios da margem esquerda do Guadiana.

Miguel Freitas começou por explicar que “a bio-região é um território onde a marca dos produtos biológicos é importante, mas onde entra a componente de transição energética, isto é, onde nós procuramos ser eficientes e usar energias limpas, onde temos uma ideia de sustentabilidade do ponto de vista dos sistemas de produção mas também dos sistemas de consumo, isto é quando fazemos uma construção social no território onde todos percebem que há aqui um território de protecção mas também de acolhimento.”

O governante salienta que “é necessário que haja marcas que todos trabalhem para elas, desde a produção até à restauração, às cantinas escolares. Muito importante o trabalho das cantinas escolares, porque o trabalho dos municípios ao passarem a ideia junto das escolas, de que é preciso valorizar os produtos locais, que é preciso valorizar a dieta mediterrânica, que é preciso valorizar modos sustentáveis de alimentação que significa modos mais saudáveis de alimentação, tudo isto é a forma com que nós temos de trabalhar esta ideia da bio-região.”

O Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, refere que “esta ideia das bio-regiões estamos a trabalhar para que venha a ser reconhecido pela FAO, uma agência das Nações Unidas, é um movimento mundial. Em Portugal já temos três bio-regiões: Idanha-a-Nova, Tâmega e Sousa e Alto Tâmega e São Pedro do Sul.”

Questionado sobre quais os municípios alentejanos que vão integrar esta bio-região no Alentejo, Miguel Freitas adianta que são “Moura, Mourão, Barrancos, Serpa e Mértola estão a trabalhar para criar esta bio-região.”