Após críticas, DGS garante “rigor e transparência nos relatórios diários”

Depois de algumas críticas relativamente à contabilização de casos de Covid-19 em Portugal a Direcção-Geral da Saúde (DGS) veio a público, este sábado, garantir “rigor e transparência nos relatórios diários”.

A DGS começa por referir que “é responsável pela vigilância epidemiológica em Portugal, o que inclui a vigilância da COVID-19 desde os primeiros casos em Wuhan na China”, acrescentando que “o sistema nacional de vigilância epidemiológica (SINAVE), que é utilizado para contabilizar os casos de COVID-19, depende da notificação atempada pelos médicos e laboratórios que identificam os casos em todo o território nacional.”

No comunicado enviado às redações, a DGS deixa claro que “as notificações recebidas são analisadas diariamente para garantir a validade dos dados de modo a suportar as intervenções em Saúde Pública”, referindo também que “todos os dias existe um processamento dos dados no sentido de agregar os dados clínicos e laboratoriais à mesma pessoa, confirmar o estado de doente COVID-19 e identificar duplicados. Posteriormente estes dados são ainda sujeitos a um controlo de qualidade antes da publicação do relatório de situação epidemiológica.”

“A DGS tem-se pautado por uma relação de rigor e transparência nos relatórios diários, comunicações, conferências e entrevistas”, acrescenta em comunicado.

Concluindo que “a DGS continua a apostar na inovação e sustentabilidade dos seus sistemas de informação e análise para fazer frente aos desafios das emergências de Saúde Pública.”

O mais visto