“As Ruas Floridas de Redondo entraram naquilo que eu diria que é a história dos eventos em Portugal”, diz Ceia da Silva (c/som)

Continuam a decorrer as Ruas Floridas de Redondo, um certame que tem atraído, nos últimos dias, milhares de pessoas a esta localidade do distrito de Évora.

São 28 ruas engalanadas com enfeites de papel, num trabalho de união entre toda a população de Redondo.

Esta quinta-feira, uma comitiva da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo visitou as Ruas Floridas de Redondo, observando assim a arte de trabalhar o papel.

ODigital.pt falou com António Ceia da Silva, Presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, que começou por afirmar que “acho que este é um evento único”, acrescentando que “sou daqueles que defende cada vez mais que os eventos sejam muito identitários, muito ligados às comunidades, ou seja, aprecio em Alter um evento ligado ao cavalo, em Ourique ligado ao porco alentejano, isto para dar dois exemplos, mas podia dar mil.”

Para Ceia da Silva, “as Ruas Floridas de Redondo entraram naquilo que eu diria que é a história dos eventos em Portugal, com uma referência já de muitos anos e em que o povo decidiu ornamentar e ter aqui dias festivos, associados à fauna-agrícola, e portanto aquilo que seria o descanso que eles poderiam obter. São momentos em que também se juntava a Diáspora, são momentos em que não só há mais de 500 mil visitantes mas também muitos turistas, e muitos locais que sendo do Redondo estão hoje em Lisboa, no estrangeiro, e regressam à sua terra nestes momentos. É de facto um evento único.

O Presidente da Turismo Alentejo e Ribatejo diz que “não há paralelo”, ressalvando que “as Festas do Povo de Campo Maior são as Festas do Povo de Campo Maior, as Ruas Floridas do Redondo são as Ruas Floridas do Redondo. Não há disto no país e portanto como presidente da ERT fico muito orgulhoso e quero dar os parabéns, em primeiro lugar ao presidente Recto e a toda a equipa da câmara municipal, porque isto envolve um esforço enorme do município, mas também os parabéns ao povo do Redondo, que é de facto um povo com arte e com uma sabedoria enorme, com uma alma e carácter fantásticos. Parabéns ao Redondo, Parabéns à Autarquia, Parabéns aos Redondenses, e parabéns ao Alentejo.”

Questionado se este evento potencia a economia local e a actividade turística, Ceia da Silva diz que  “já falei com muitas pessoas de Lisboa que vêm aqui ao Redondo mas vão comer a Évora, Beja, Portalegre, Castelo de Vide, Estremoz… Portanto este evento não é apenas importante para o Redondo, é importante a nível regional mas eu diria até que tem uma dimensão que ultrapassa as fronteiras do país, porque há muitos espanhóis que já visitam o Redondo, há muitos estrangeiros que estão cá, e que acabam por vir ao Redondo porque estão aqui as festas floridas”.

O Presidente da ERT, conclui dizendo que “é um evento que merece as nossas melhores referências e eu diria que é muito importante, fazer-se, um dia, um estudo sobre o impacto económico destas festas, porque potencializa não só a nível local mas toda a região.