Autarquia de Montemor-o-Novo atribuiu nome do Grupo de Forcados a uma rua. Autarca diz que é “a valorização das actividades que o grupo tem desenvolvido (c/som e fotos)

No dia em que se comemorou o Dia da Cidade de Montemor-o-Novo, a Câmara Municipal descerrou as placas toponímicas que atribuem o nome do Grupo de Forcados de Montemor a uma rua.

Uma rua localizada próximo da praça de touros de Montemor-o-Novo, onde já se viveram grandes tarde de glória.

Na cerimónia marcou presença a Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, Hortênsia Menino, bem como todo o executivo camarário, o Cabo dos Forcados de Montemor, António Vacas de Carvalho, bem como vários elementos do grupo tanto actuais como velhas glórias.

ODigital.pt esteve presente e falou com a Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, Hortênsia Menino que explicou que a atribuição do nome do Grupo de Forcados a esta rua significa “dar seguimento a uma decisão da Comissão Municipal de Toponímia que aprovou esta proposta e significa o reconhecimento e valorização das actividades que o grupo tem desenvolvido e que é uma expressão da cultura popular e tradicional aqui de Montemor-o-Novo. Portanto demos seguimento a isso, dando reconhecimento ao papel que o grupo de forcados tem tido em levar o nome de Montemor-o-Novo mais longe.”

Sobre o facto deste grupo de forcados levar o nome de Montemor aquém e além-fronteira, a autarca volta a frisar que “a atribuição deste topónimo, que ficará a fazer parte da história de Montemor, é o reconhecimento de uma expressão pública desse mesmo trabalho e dessa valorização da nossa cidade e do trabalho que têm feito pela nossa cidade.”

Questionada sobre o facto da autarquia ter tido a coragem de avançar com esta atribuição de nome a uma rua, numa altura em que as Touradas é um tema controverso na opinião publica, Hortênsia Menino é parca em palavras, dizendo apenas que “nós valorizamos as nossas culturas e tradições locais. É o que tenho a dizer.”

Falamos também com o Cabo dos Amadores de Montemor, António Vacas de Carvalho, que  começou por referenciar que “todos os dias saímos de casa para arriscar a nossa vida em nome da nossa cidade e todos os reconhecimentos são sempre bons, mas quando é dos nossos é sempre mais gratificante e hoje temos aqui um reconhecimento dos nossos e do município, desta terra de quem levamos o nome todos os dias. É importante e gratificante para nós.”

Questionado sobre como é o apoio da população de Montemor ao Grupo de Forcados, António Vacas de Carvalho afirma que “é grande. Sempre que vamos a corridas, por esse país fora, vemos pessoas de Montemor que nos acompanham (antigos elementos e não só). Somos muito acarinhados pelas gentes de Montemor, esta distinção é uma prova disso.”

Já sobre os apoios da autarquia ao Grupo, António salienta que “nestes momentos, estas opções políticas podem ser criticadas, e são (porque há pessoas que são contra a tauromaquia), e para nós é importante saber que a nossa autarquia apoia o grupo e a tauromaquia. E ficamos contentes por haver um apoio da nossa cidade”, acrescentando que “somos uma associação sem fins lucrativos, estamos dentro dos modelos de associativismo da câmara municipal, temos ajudas financeiras, às vezes algum evento que queiramos montar temos também ajuda da câmara. Estamos sempre em contacto.”

Já sobre a temporada 2020 dos Amadores de Montemor, António Vacas de Carvalho diz que “está boa. Temos já algumas datas certas. Vamos dia 5 de Abril pegar em Almeirim, na alternativa da Mara Pimenta. Depois pegaremos dia 25 em Alter, dia 1 em Montemor, dia 17 de Maio em Évora, e época está a fazer-se. Este ano temos uma digressão fora do habitual. Vamos pegar às Sanjoaninas, na Ilha Terceira dia 20 de Junho, o que é um marco nesta geração porque o grupo não vai às Sanjoaninas há mais de 15 ou 20 anos, não sei precisar, e portanto temos uma época a montar-se bem e com boas perspectivas

Recomendado