Base Aérea N.º11 de Beja vai receber gigantes dos céus e cerca de 250 militares

Conforme noticiámos, o Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, esteve, esta semana, na Base Aérea N.º 11 de Beja (BA11), onde anunciou que esta vai ser a “sede” dos cinco aviões KC-390, que Portugal acordou, em 2019, comprar à fabricante brasileira Embraer.

“Beja é uma cidade que vai beneficiar bastante do investimento da Força Aérea” Portuguesa (FAP) “durante os próximos anos”, destacou o ministro, durante uma visita à BA11.

João Gomes Cravinho recordou que “há vários meios que estão a ser transferidos para Beja”, como a Esquadra dos aviões Épsilon, usados para instrução elementar e básica de pilotagem, cuja mudança da Base Aérea N.º 1 de Sintra para a BA11 já tinha sido anunciada.

O Governante anunciou nesta visita que a decisão de sediar nesta base os KC-390, “é uma decisão recente por parte da Força Aérea, de alterar a base pensada inicialmente do Montijo – a Base Aérea N.º6 – para Beja” ser “sede dos KC-390”, acrescentando que esta decisão significa também que, “mais uma centena de militares com as suas respectivas famílias virão para Beja”, “teremos qualquer coisa como 200 ou 250 militares com as respectivas famílias a instalarem-se” nesta cidade alentejana.

Gomes Cravinho adiantou ainda que o primeiro dos KC-390 “chegará em Fevereiro de 2023”, destacando que “muito trabalho vai acontecer antes disso”, ou seja, “já vão sentir a presença dos militares afectos” a esta aeronave mais cedo, na unidade militar e na cidade.

O mais visto