Bombeiros de Mourão: “O pouco serviço que nós tínhamos ficámos sem ele, posso dizer que isto caiu cerca 97%”

A contingências provocadas pela Covid-19 trouxeram uma grave crise económica, que tem afectado todos os sectores da sociedade.

As Corporações de Bombeiros não foram excepção, pois perderam a maioria dos seus serviços de saúde, estes que na maioria das situações são um grande sustento destas entidades.

Pode aceder ao recurso Roleta online gratis e assim poderá ter um nova solução

ODigital.pt falou recentemente com o Presidente da Associação dos Bombeiros Voluntários de Mourão, Alexandre Mendonça que falou sobre as dificuldades que a associação através, deixando ainda algumas possíveis medidas de apoio.

Segundo Alexandre Mendonça, os Bombeiros de Mourão “têm tido algumas dificuldades financeiras, mas gerido de uma forma quase elástica temos conseguido gerir esta casa, com dificuldades, com ajuda da câmara, mas agora tornou-se mais complicado, porque antes ainda tínhamos alguns serviços de saúde e agora com o início da Covid-19, o pouco serviço que nós tínhamos ficámos sem ele, não há serviço, os hospitais não estão a requisitar serviço, não há credenciais, as pessoas estão a evitar de ir aos hospitais, posso dizer que isto caiu cerca 97%, não temos praticamente serviços.”

O Presidente da Associação de Bombeiros de Mourão, deixa claro que  “o governo vai ter de olhar para estas situações, porque não é só Mourão, como grande parte das corporações vão encerrar portas, porque isso é preocupante para todos, e mais, temos a época de fogos à porta, temos de ter viaturas em condições e combustível e não está fácil e não sei como vai ser.”

O futuro não é fácil, aliás o nosso futuro nunca foi fácil, com muitas preocupações, muitas dores de cabeça, muito trabalho, mas agora ainda ficou mais difícil, não sei se conseguirei de ter capacidade à altura para poder ajudar esta casa”, afirmou ainda Alexandre Mendonça.

O Dirigente deixa ainda algumas sugestões para que se possa ajudar estas Associações, nomeadamente a “isentar os Bombeiros do pagamento da TSU nesta época de crise, mas também haver apoios financeiros a fundo perdido, porque se não for a fundo perdido, só estamos a empurrar o mal com a barriga.”

Alexandre Mendonça conclui destacando o papel dos Bombeiros, “porque nós somos a força principal à frente das ocorrências, porque quando há fogo as pessoas chamam os bombeiros, se há um acidente chamam os bombeiros, quando há uma doença liga-se o 112, mas quem vai é os bombeiros”.

Esta informação também lhe pode interessar: https://frank.casino-navegador.com/jogos-gratis/super-wheel

O mais visto