Campo Maior: Projecto de Aproveitamento Hidroagrícola do Xévora está em discussão pública e prevê regar mais de 2 mil hectares

Está em consulta pública o projecto do Aproveitamento Hidroagrícola do Xévora (AHX) consiste num conjunto de infraestruturas que permitem o abastecimento eficiente da água de rega a uma área de 2 160,30 ha, a partir da Albufeira de Abrilongo. A área beneficiada localiza-se no concelho de Campo Maior, na zona fronteiriça Norte e Nordeste do concelho.

Este projecto inclui a construção de várias infraestruturas, nomeadamente:

– Reservatório com 11 000 m3, onde se inicia a Rede de Rega.

– 50 Km condutas instaladas em valas, com tubagem de betão, PEAD e ferro fundido dúctil, que distribuem a água pela área beneficiada

– 90 Hidrantes e 235 bocas de rega nos pontos de distribuição da água

– Estação Elevatória (EE1), localizada junto à albufeira de Abrilongo que eleva a água até ao reservatório atrás referido. A rede de rega poderá ser alimentada sem intervenção da estação elevatória EE1, estando para isso previsto um sistema de by-pass.

– Uma segunda estação Elevatória (EE2) que permite a rega nas zonas mais elevadas da área do projeto.

– A Rede de Drenagem que consiste na abertura e limpeza de valas numa extensão de cerca de

25,2 km, que permite as boas condições de drenagem dos solos da área beneficiada.

– A Rede Viária que permite o adequado acesso à área beneficiada, que consiste em intervenções em 18 caminhos já existentes em 18,99 Km.

Este projecto tem como objectivo a distribuição de água de rega e manutenção dessa mesma infraestrutura, permitindo a modificação da utilização dos terrenos agrícolas, nomeadamente a conversão de sequeiro para regadio na superfície onde essa conversão ainda não ocorreu, bem como o uso eficiente da água na totalidade da área beneficiada.

No que diz respeito ao impacto sócio-economico deste projecto, um relatório prevê um aumento da área regada em 857,82 ha, em segundo lugar uma fração relevante (43% da área regada atual do concelho de Campo Maior) passa a ser realizada com maior eficiência energética e em condições de uso eficiente da água. Por outro lado, com a execução deste projecto prevê-se o abate de 530 azinheiras, que poderá ser compensada com a plantação de mais de 5300 árvores.