Covid-19: Em tempos de confinamento, whatsapp foi o preferido dos portugueses

Com a pandemia da Covid-19 a afectar todo o mundo e com o milhões de pessoas em isolamento, os serviços de mensagens online vão de encontro às suas necessidades, tornando possível trabalho remoto, assistência às aulas online e encontros com amigos sem sair de casa. Desde a implementação de restrições na Europa, a popularidade de aplicações de mensagens aumentou sete vezes.

Os especialistas do Picodi.com analisaram os números relativamente a quais os serviços e aplicações de videochamadas se têm tornado mais populares ultimamente.

Foi analisado o número médio de buscas online dos mais populares serviços de mensagens, lançados tanto por grandes empresas como por aquelas de nicho, p.ex. Google, Microsoft, Facebook, Rakuten, Line Corporation.

O líder incontestável na Europa é a aplicação Whatsapp que foi procurada com a maior frequência em 22 países. O serviço lidera em Espanha, Suíça, Itália, Alemanha e Chéquia. Uma explosão de interesse pelo Whatsapp está também visível na Rússia, Roménia e Turquia. Os portugueses também se alinham na equipe do Whatsapp, como, aliás, a Europa do sudoeste inteira.

Em 14 países o serviço de videochamadas mais utilizado é o Zoom. No mapa vemos que o Zoom é popular principalmente no norte da Europa (Grã Bretanha, Noruega), em certos países bálticos (Latvia, Estónia), na Ucrânia e na Moldávia.

As aplicações de videochamadas menos populares são o Skype, o Viber e o Microsoft Teams. O veterano Skype está em uso principalmente na Polónia, Eslováquia, Hungria e Grécia, enquanto Viber e MS Teams encontraram o maior número de utilizadores nos Balcãs, na Bielorrússia e no Liechtenstein.

Curiosamente, apenas os habitantes da Dinamarca utilizam o Google Meet durante a pandemia.

Metodologia e Fonte de Pesquisa

A pesquisa baseou-se na comparação de número de buscas online de 19 aplicações e serviços de videochamadas. Os dados históricos provêm de Google Keyword Planner.