Cromeleque dos Almendres: Rota do Megalistimo é “fundamental para dar a conhecer estas pérolas da nossa cultura” (c/fotos)

Como já noticiámos, a Entidade Regional de Turismo do Alentejo apresentou, esta sexta-feira, a “Rota do Megalistimo”, uma rota que integra o projecto “Rotas do Touring Cultural do Alentejo e Ribatejo”, e pretende transportar os turistas e visitantes até aos diversos locais onde se encontram dissemelhantes menires, cromeleques ou dolmens que têm despertado o interesse de investigadores, arqueólogos e curiosos.

Esta apresentação ocorreu em dois pontos distintos, sendo o segundo no concelho de Évora, nomeadamente no Cromeleque dos Almendres, que se localiza na freguesia de Nossa Senhora de Guadalupe, é constituído por dois recintos distintos, edificados entre o final do 6º e o 3º milénio a.C., este cromeleque é um dos maiores e mais importantes monumentos megalíticos do mundo, bem mais antigo do que o famoso Stonehenge.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto de Sá, “a Rota do Megalitismo é uma excelente iniciativa, porque este território tem centenas de monumentos megalíticos de diferentes importâncias e é bom conhecermos um pouco e aproveitarmos para passear pela paisagem alentejana

O Autarca refere ainda que “estas rotas são fundamentais para dar a conhecer estas pérolas da nossa cultura e da nossa identidade e que nos diferenciam relativamente a um conjunto de outras que existem outros pontos e depois porque estando a viver esta situação algo complicada da pandemia, dizer que este é o lugar por natureza que se pode visitar com calma e tranquilidade”.

Já sobre este monumento, Carlos Pinto de Sá adianta que “este cromeleque está numa propriedade privada, mas pudemos à relativamente poucos meses chegar a um acordo com os proprietários e através desse acordo esta área foi cedida ao município e isso está a permitir-nos preparar um plano de salvaguarda do monumento e também a melhorar das infraestruturas de acesso e acolhimento.”

O mais visto