Derrocada da estrada de Borba: Ministério Público confirma 9 arguidos no caso

Tal como foi oportunamente informado, na sequência do colapso de estrada em Borba ocorrido em Novembro de 2018, o Ministério Público instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias que rodearam a ocorrência.

Como já hoje tínhamos noticiado, o processo, no qual foi judicialmente declarada a excecional complexidade, é dirigido pelo MP do DIAP de Évora, com a coadjuvação da Polícia Judiciária de Évora.

 

Um ano decorrido, o Ministério Público fez um ponto de situação.

De acordo com o Ministério Público, “a investigação tem vindo a decorrer, nos moldes que foram estabelecidos e que se tiveram por adequados e justificados, com a realização das diligências pertinentes com vista à recolha de elementos de prova pessoal, documental e pericial.”

 

“Até ao momento e para além dos exames médico-legais relativamente às cinco vítimas mortais, foram ouvidas 21 testemunhas, constituídos 9 arguidos, sendo um deles uma pessoa coletiva, foram concluídos exames periciais e analisada inúmera documentação”, adiantou ainda o Ministério Público.

O MP, conclui dizendo que “decorrem diligências tendentes à obtenção de elementos de prova documental, que se reputam como essenciais à descoberta da verdade e à qualificação jurídico-criminal dos factos e ainda elementos de prova pessoal.”

 

Nessas diligências o Ministério Público continua a ser coadjuvado pela Polícia Judiciária.

 

O inquérito encontra-se em segredo de justiça, sendo a presente informação prestada ao abrigo do disposto no art.º 86.º, n.º 13, alínea b) do Código de Processo Penal