“É necessário salvaguardar o futuro dos trabalhadores”, diz autarca de Sines sobre o fecho central termoeléctrica

Na passada terça-feira, o presidente da Câmara Municipal de Sines, Nuno Mascarenhas, reuniu-se com a EDP Produção para encontrar soluções que minimizem os impactos que o encerramento da central termoeléctrica de Sines, anunciada para Janeiro de 2021, poderão vir a ter na região.

Neste encontro estiveram presentes Miguel Mateus, administrador da EDP Produção, João Amaral, director da Central de Sines, e Adília Pereira, directora de Recursos Humanos da empresa. Durante a reunião o presidente da Câmara teve ainda a oportunidade de falar com o CEO da EDP Produção, Miguel Setas, que demonstrou total abertura por parte da empresa na procura de soluções.

Nuno Mascarenhas tem estado em contacto com diversas entidades, nomeadamente sindicatos, Instituto de Emprego e Formação Profissional, Instituto de Segurança Social, Secretaria de Estado da Energia, com o objectivo de serem discutidas as medidas de mitigação dos impactos do encerramento da central termoeléctrica.

Foi igualmente acordada uma reunião, a realizar com carácter de urgência, entre todas as entidades que possam contribuir para a elaboração de medidas de política pública que minimizem os impactos sociais e económicos desta decisão.

Os trabalhadores da EDP e os sinienses sabem o empenho que a Câmara Municipal tem colocado na defesa dos seus interesses e da estabilidade económica e social desta comunidade. É necessário salvaguardar o futuro de centenas de trabalhadores, não só dos que operam directamente na central, mas também de muitos outros, que trabalham nos sectores de actividade que lhe estão associados“, refere o autarca.