Em 2020 haverá seis investimentos na saúde, no Alto Alentejo. Obras que “apenas conseguimos fazer com a colaboração dos municípios”, diz José Robalo (c/som)

No passado dia 27 de Dezembro, foi assinado um conjunto de protocolos entre a Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano e seis municípios do Alto Alentejo, para a realização de um conjunto de obras de melhoria de alguns equipamentos de saúde.

Assinaram protocolo os municípios de Portalegre, Ponte de Sor, Marvão, Campo Maior, Crato e Castelo de Vide.

Em Portalegre será construída uma nova Unidade de saúde Familiar, nomeadamente no Bairro dos Assentos, em Ponte de Sor, será requalificado e ampliado o actual Centro de Saúde. Por sua vez em Marvão será criada uma nova extensão de saúde na Freguesia de São salvador de Aramenha, em Campo Maior, também o actual Centro de Saúde será alvo de obras de requalificação e ampliação, no Crato será criada nova Extensão de Saúde na freguesia de Gáfete e por fim  em Castelo de Vide irá também construir, em Póvoa e Meadas, uma nova Extensão de Saúde.

De salientar que estas obras serão co-financiadas em 85% por fundos comunitários, sendo a comparticipação nacional assumida em partes iguais pelas câmaras e pela ULSNA.

ODigital.pt esteve presente na assinatura dos protocolos e falou com José Robalo, presidente do Conselho Directivo da Administração Regional de Saúde do Alentejo, que nos falou sobre estas obras dizendo que “há investimentos que apenas conseguimos fazer se tivermos a colaboração dos municípios. Os municípios são fundamentais para a fixação dos profissionais mas também para a melhoria do acolhimento das pessoas para que tenham o melhor acolhimento possível e que têm direito naquilo que é o nosso serviço nacional de saúde.”

José Robalo acrescenta ainda que “estas obras são necessárias, maior parte das unidades e serviços já foram remodelados, faltam dois entre os quais o da pediatria e essa modificação tem de ser feita porque os equipamentos vão sendo desgastados, por um lado, e os investimentos têm de surgir e o espaço tem e ter outra condição e funcionamento dos próprios funcionários mas também de acolhimento das pessoas.”

O mais visto