“Espero que até ao final deste mandato seja possível observar grandes partes desses trabalhos no terreno”, diz autarca do Crato sobre a Barragem do Pisão (c/som e fotos)

As conclusões do Grupo de Trabalho constituído para estudar o modelo de financiamento e gestão do empreendimento de aproveitamento hidráulico de fins múltiplos do Crato, vulgo Barragem do Pisão, foram apresentadas esta sexta-feira, 7 de junho, no Crato, numa cerimónia presidida pelo Ministro-adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira.

Para além do Ministro-adjunto e da Economia, estiveram ainda presentes o Ministro do Planeamento, Nelson de Souza, o Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, o Secretário de Estado do Ambiente, João Ataíde e o Secretário de Estado da Valorização do Interior, João Paulo Catarino, bem como o Presidente da Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo, Ricardo Pinheiro, o Presidente da Câmara do Crato, Joaquim Diogo.

Na cerimónia de apresentação, o Presidente da Câmara Municipal co Crato, salientou que “estamos a festejar uma grande conquista, a decisão de construir a barragem do pisão.” O autarca lembrou que “passaram 60 anos desde que foram efectuados os primeiros estudos para ser construída uma barragem que todos sempre consideraram prioritária. Foram seis décadas de avanços e recuos, de muita esperança e também de muitas desilusões, e que hoje esperemos que fiquem arrumadas.”

Joaquim Diogo, revela que “até ao final deste mandato seja possível observar grandes partes desses trabalhos no terreno e que oito anos volvidos, sensivelmente, o imenso espelho de água com finalidades múltiplas esteja por fim à disponibilidade do Alentejo.