Está a pensar em vender ou arrendar a sua casa? Saiba o que terá agora de fazer

O mercado imobiliário tem sentido alterações nos últimos anos. Há mais casas à venda, mais casas para alugar e apesar dos exorbitantes preços praticados, 2018 registou um número recorde em vendas de imóveis. Apesar de o primeiro trimestre de 2019  ser já terceiro trimestre consecutivo em que se observa uma desaceleração no número de vendas de habitações, a verdade é que ainda se esperam assistir a diversas movimentações.

Por isso mesmo, se pondera vender ou arrendar a sua casa, saiba que entre as burocracias necessárias, precisa de adquirir um certificado energético, até porque caso exista uma inspecção e esteja em incumprimento, sujeita-se a uma multa entre os 250 euros e os 3750 euros.

Este documento, emitido em cerca de três dias por técnicos autorizados que pode encontrar na plataforma Fixando, é obrigatório em edifícios novos e antigos, a partir do momento em que são colocados no mercado e afere a eficácia energética de um imóvel numa escala de A+ (muito eficiente) a F (pouco eficiente). O documento é válido entre seis a 10 anos de acordo com o tipo de edifício.

Os certificados para uma habitação variam de acordo com a localização, ano, tipo de residência e até características de construção. Existem ainda taxas de registo e emissão que variam entre os 28 euros (para T0 e T1) a 65 euros (T6 ou superior). A este valor acresce o preço do serviço cobrado pelo profissional da plataforma. Os preços médios cobrados na Fixando rondam os 200 euros.

A certificação energética é das categorias com maior procura na plataforma, sendo que em 2019, e até à data, é a quinta categoria com maior número de pedidos. Este é um serviço cuja procura continua a aumentar, sendo que até à data, e face ao período homólogo, registou-se um aumento de cerca de 14% na procura.

Fonte: www.fixando.pt

Read more...
Read more...