Feira da Doçaria de Portalegre: Ceia da Silva adianta que “temos já imagem de marca da Doçaria Conventual de Portalegre elaborada” (c/som)

Decorreu durante este fim-de-semana a XIX Feira da Doçaria Conventual e Tradicional de Portalegre.

O evento realizou-se no Convento de Santa Clara e contou com mais de quatro dezenas de doceiros, que tornaram mais doce este chuvoso fim-de-semana.

No decorrer deste certame ODigital.pt falou com o Presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, António Ceia da Silva, que começou por referir que “um destino turístico vive de muitos aspectos particulares e claramente que os eventos são um desses aspectos, é óbvio e eu falei aqui que estamos a estruturar que há uma série de produtos que passam por Portalegre, como o cycling, o walking, Os Caminhos de Santiago, a Rota do Património Cultural e Imaterial, que vão ter as tapeçarias de Portalegre como monofoco dos pacotes turísticos das tours de 2, 3 e 5 dias que estão a ser preparadas, o megalitismo com destaque paras fortificações, com foco também aqui em Portalegre, mas claro que a doçaria é única.”

António Ceia da Silva defende que “os eventos devem ser ligados aos produtos endógenos. Eu concordo que em Alter haja um evento ligado aos cavalos, em Ponte de Sor ligado à aeronáutica, para dar dois exemplos, e em Portalegre defendo que haja uma feira de doçaria conventual. Eu costumo dizer que feiras medievais há em todo o lado, em Viana do Castelo e em Sagres, feiras de gastronomia há em Caminha e Vila Real de Santo António, agora feiras de doçaria conventual tem de haver origem tem de haver produto, tem de haver massa critica e Portalegre tem essas características.” O Presidente da Entidade Regional de Turismo adianta ainda que “temos já imagem de marca da Doçaria Conventual de Portalegre, elaborada em colaboração com a câmara, e estamos em condições de no próximo ano as embalagens, os sacos recicláveis com a marca da Doçaria Conventual de Portalegre.”

O mais visto