Governo retira certificação DOP a algumas entidades alentejanas

Foi através de um despacho normativo assinado pelo Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel João Pisoeiro de Freitas, que foram retiradas algumas certificações de produtos alentejanos.

Estas certificações foram retiradas por “ausência de actividades de valorização ou promoção daquelas denominações protegidas, consubstanciada no facto de as mesmas se encontrarem sem comercialização há, pelo menos, sete anos”.

Deste modo o governo retirou à APAFNA – Agrupamentos de Produtores Agrícolas e Florestais do Norte Alentejano as responsabilidades inerentes à gestão do uso da denominação Cereja de São Julião – Portalegre DOP e à APETAL – Agrupamento de Produtores de Enchidos Tradicionais do Alentejo, Lda. as responsabilidades inerentes à gestão do uso da denominação Morcela de Estremoz e Borba IGP.

No despacho agora publicado e pelas mesmas razões, foram revogados alguns despachos como o que atribuiu a gestão da denominação Borrego do Baixo Alentejo IGP à Carnovina – Agrupamento de Produtores Agropecuários, S. A., como o despacho que atribuiu a gestão da denominação Linguiça do Baixo Alentejo ou Chouriço de Carne do Baixo Alentejo IGP à ANCPA – Associação Nacional de Criadores de Porco Alentejano; e por fim foi revogado o despacho que atribuiu a gestão da denominação Paio de Beja IGP à ANCPA – Associação Nacional de Criadores de Porco Alentejano.