Ministra da Agricultura reitera “o plano estratégico PAC em preparação faz parte deste Pacto Ecológico”

A Ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, participou esta segunda-feira no Conselho Europeu de Agricultura e Pescas, em Bruxelas, para dar continuidade à discussão do pacote de reforma da Política Agrícola Comum (PAC) pós-2020. Maria do Céu Albuquerque reafirmou que defende uma PAC que seja benéfica para todos os agricultores. A Comunicação sobre o Pacto Ecológico (Green Deal), recentemente apresentada pela Comissão, estabelece um compromisso orientador e integrador das prioridades da União Europeia (UE) para os desafios que enfrenta em termos de clima, ambiente e biodiversidade, no âmbito dos quais todos os sectores terão de contribuir, de forma justa e inclusiva, para os objectivos de neutralidade carbónica a atingir em 2050 e de transição para um modelo de crescimento económico mais sustentável.

A Ministra da Agricultura de Portugal avançou, durante a sua intervenção, que concorda com o papel central que o Pacto Ecológico atribui à agricultura no objectivo de, através da estratégia Farm to Fork, fazer uma transição para um sistema alimentar justo, saudável e amigo do ambiente, identificando a PAC como sendo um instrumento essencial para atingir esta meta e, simultaneamente, assegurar uma vida digna aos agricultores europeus”. Maria do Céu Albuquerque salientou que “Portugal vê como muito positiva a abordagem de incluir os planos estratégicos da PAC na ambição do Pacto Ecológico”.

A Ministra da Agricultura reiterou que “o plano estratégico PAC em preparação faz parte deste Pacto Ecológico, pelo que se justifica prolongar a totalidade das medidas agroambientais em 2020 e assim permitir uma transição entre o actual e o próximo período de programação ”.

O mais visto