Ministro afasta em definitivo militar da GNR de Portalegre, condenado em 2017

Foto: Hugo Calado

Apesar de datado de 27 de Novembro, foi agora publicado em Diário da Republica o Despacho do Comando Geral da Guarda Nacional Republicana, que afasta em definitivo o Cabo da GNR Joaquim Camilo, destacamento de trânsito da GNR de Portalegre.

O documento agora publicado pelo Comando Geral da GNR, vem na sequência de um despacho do Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que na sequência de um processo disciplinar aplicou a pena disciplinar de separação de serviço.

A separação de serviço consiste no afastamento definitivo de um militar do exercício das suas funções, com perda da sua qualidade de militar, ficando privado do uso de uniforme, distintivos ou insígnias militares, com a pensão de reforma que lhe couber.

Recordamos que o Cabo agora afastado da GNR, foi condenado em 2017 pelo Tribunal de Portalegre à pena única de três anos e seis meses de prisão, suspensa na sua execução pelo mesmo período de tempo e subordinada ao dever entregar a quantia de 1.500 euros a uma instituição de solidariedade.

O referido cabo, outros dois militar da GNR e mais 14 arguidos civis, estavam acusados  pelo Ministério Público (MP) de corrupção, recebimento indevido de vantagem, abuso de poder e fraude fiscal.

Recomendado