Ministro do Ambiente apela à poupança de água para prevenir problemas a curto prazo devido à seca (c/som)

A seca meteorológica tem vindo a agravar-se nos últimos meses principalmente no sul do país, no entanto o ministro do Ambiente, José Pedro Matos Fernandes, afirmou que ainda não foi necessário decretar “medidas de contingência” devido à seca meteorológica que o país enfrenta, sublinhando estar a acompanhar a situação “muito de perto”.

O Ministro do Ambiente referiu que “acompanhamos a situação de muito perto e não houve nenhuma medida especial de contingência que tivesse sido decretada este ano”, acrescentando que “a albufeira que tem menos água, é o Monte da Rocha no Sado, tem 10% da água e há muitos meses que não passa dos 11%, ou seja tem sido feita uma gestão muito cuidada daquilo que é essa mesma água que existe.”

O responsável pela pasta do ambiente afirma que “não há nenhum problema relativamente ao consumo humano ou outros assuntos mais directos. Agora, há duas coisas que nunca nos podemos esquecer: a primeira é que temos de poupar água e que temos de fazer uso mais eficiente da água, o facto de não haver problemas num ano, é a garantia de que vão existir no ano a seguir. E por isso temos mesmo de poupar muita água. E a segunda é essa mesmo, é que a única solução que existe não é fazer infraestruturas de interligações, embora as estejamos a fazer, é consumir menos água. Por uma razão muito simples, a bacia mediterrânica, e Portugal está na bacia mediterrânica, a quantidade de água que vem da chuva é menos do que aquela que consumimos e por isso temos de consumir menos água.”