Município de Sines assinala os seus 658 anos com atividades online

Foto: D.R.

O Município de Sines, criado em 1362 pelo rei D. Pedro I, assinala 658 anos de existência no dia 24 de novembro, com um programa maioritariamente online, tendo em conta a decreto de Estado de Emergência e a situação epidemiológica que se verifica no País e no concelho.

As comemorações têm início às 10h00 de dia 24, com o hastear da bandeira nos Paços do Concelho. A cerimónia terá um caráter simbólico e contará apenas com a presença das entidades oficiais.

Às 11h00, é transmitida em direto, nos meios online do município, a Sessão Solene da Assembleia Municipal Comemorativa do Dia do Município. A sessão será realizada no auditório do Centro de Artes de Sines, sem público e com a presença exclusiva dos autarcas das forças políticas representadas nos órgãos deliberativo e executivo do Município.

A seguir à sessão, o Arquivo Municipal disponibiliza, também online, um Documento do Mês Especial, com um fólio pouco conhecido do Foral Manuelino de 1512, e o vídeo “Carta de Elevação, Guia de Leitura”, que ajuda a compreender a Carta de Elevação de Sines a Vila, o documento fundador do Município de Sines.

Durante a tarde, é publicada a versão digital do número 16 do jornal “Redes do Tempo”, dedicado aos pintores do mar de Sines. Um projeto do Museu de Sines, o jornal evoca nesta edição as figuras de Emmerico Nunes, Nikias Skapinakis e António Pinto Basto, cujo diário ilustrado documenta uma passagem do rei D. Carlos por Sines. O jornal conta também com um depoimento de Dom Duarte de Bragança sobre o “excelente exemplo” dado por Sines na preservação da cultura ligada ao mar.

Às 16h00, são inauguradas duas novas exposições de fotografia no centro de exposições do Centro de Artes de Sines, que ficarão disponíveis para visita pelo público em geral no dia seguinte, 25 de novembro.

A primeira exposição é ALENTEJO ANAMNESIS, de Cabrita Nascimento, um conjunto de “ensaios artísticos sobre as raízes mais profundas da natureza do nosso planeta” através do local onde o fotógrafo habita, a região alentejana. Uma exposição em que o Alentejo surge como “um possível início de vida na Terra, um lugar do futuro dessa mesma Terra, que tanto urge cuidar e preservar do instinto de morte e destruição que por vezes caracteriza a nossa espécie.”

A segunda exposição, com fotografias de Shen Chao-Liang, é uma parceria entre o Centro Económico e Cultural de Taipei em Portugal e a Câmara Municipal de Sines. Com curadoria de Rui Prata, a exposição, intitulada STAGES & SINGERS, dá a conhecer a cultura de cabaré em palcos ambulantes que se desenvolvido desde a década de 1970 em Taiwan. Estes palcos, visualmente espetaculares, são usados em todos os tipos de celebrações, desde receções de casamento a cerimónias religiosas e funerais.

Também no Centro de Artes de Artes, poderá ser vista, até 30 de novembro, a exposição “Olhares Iguais”, sobre sociedades multiculturais, uma iniciativa da Associação Caboverdiana de Sines e Santiago do Cacém.

Ainda no dia 24 de novembro, estreiam online dois filmes documentários produzidos pela Câmara Municipal de Sines.

Às 18h00, será transmitido o filme “Comissões de Moradores de Sines: A Construção da Democracia”, uma homenagem às comissões de moradores do concelho, com realização de Diogo Vilhena, produção de António Campos e investigação histórica de Sandra Patrício e Gonçalo Chinita. O documentário esteve integrado no projeto mais alargado sobre a história deste movimento popular no pós-25 de Abril em Sines, coordenado pelo Arquivo Municipal e cofinanciado pelo programa Tradições da EDP.

Às 21h00, estreia online o documentário “Mar de Sines”, que reúne os testemunhos de três gerações de pescadores que são os protagonistas de uma pesca baseada nas artes tradicionais e no respeito pelos recursos. O filme, vencedor do prémio “Melhor Filme Etnográfico” do Festival Internacional do Filme Etnográfico do Recife (Brasil), teve realização de Diogo Vilhena, produção e assistência de realização de António Campos e banda sonora original de Charlie Mancini. O projeto foi apoiado pelo PROMAR – Programa Operacional Pesca 2007-2013 / Fundo Europeu das Pescas.

Finalmente, a partir de 26 de novembro, o público poderá ver, exposta no átrio do Centro de Artes de Sines, a Taça de Portugal de Trap 2020, um dos troféus mais importantes da modalidade de tiro com armas de caça, conquistado este ano pelo atirador siniense Fernando Sebastião.