“Não é uma feira só de mostra, mas também de discussão, de troca de experiência, de aprendizagem”, diz autarca de Moura na inauguração da Feira de Setembro (c/som e fotos)

Decorreu esta quinta-feira, 12 de Setembro, a inauguração de mais uma edição da Feira de Setembro, em Moura, que este ano tem como temas centrais o artesanato, o turismo e a natureza.

O certame irá decorrer até domingo, dia 15, no Parque Municipal de Feiras e Exposições do concelho de Moura.

A sessão de abertura da Feira de Setembro realizou-se, no Auditório Miguel Urbano Rodrigues, na Comoiprel, onde esteve presente a Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Maria do Céu Albuquerque e o Presidente da Câmara Municipal de Moura, Alvaro Azedo.

Várias entidades locais e regionais marcaram presença nesta cerimónia, bem como vários autarcas da região.

No seu discurso, a Secretária de estado Maria do Céu Albuquerque realçou que Feira de Setembro “não é mais do que uma mostra. Uma mostra daquilo que o município tem para oferecer. Ciente dos desafios e problemas, mas também a confiar no sonho e na aspiração que tem de conduzir a nossa utopia”.

A Governante acrescentou que “estas iniciativas que juntam os produtores locais, a população, os empresários, são fundamentais para garantir a sustentabilidade dos territórios. Nomeadamente os territórios de baixa densidade, onde sabemos que fixação dos produtores se faz de forma mais difícil, onde nem sempre se tem as melhores respostas para aqueles problemas com que os cidadãos se deparam, nomeadamente o envelhecimento, a falta de serviços públicos que correspondam à densidade populacional que aqui se verifica, mas se estes momentos são importantes”.

ODigital.pt falou com o Presidente da Câmara Municipal de Moura, Álvaro Azedo que começou por dizer que esta feira trata de “três temáticas que entre si se fundem muito bem. Estamos a falar do turismo, da natureza e do artesanato, que são três vectores importantes para nós. E queremos estimular este crescimento e queremos que esta estratégia do turismo em Moura tenha maior expressão e que tenhamos nestas três temáticas também uma forma de alavancar o nosso tecido empresarial.”

Álvaro Azedo salienta que “cada vez mais vamos ter mais turismo, e daí o convite que faço a quem nos visita nos próximos dias, é que também assistam aos colóquios que vamos ter e às mesas redondas. Significa um incremento de qualidade na nossa feira, porque não é uma feira só de mostra mas também de discussão, de troca de experiência, de aprendizagem”.

Questionado sobre o impacto que este tipo de feiras tem para o concelho, o autarca afirma que  “tem o impacto afectivo. É uma feira franca, tradicional de Moura. Moura tem duas feiras, uma em Maio e outra em Setembro, tem uma festa em honra de nossa senhora do Carmo, em Julho, é uma terra de tradição e isso não tem preço”, acrescentando que “aquilo que nós procurámos construir nos últimos anos foi uma estratégia para saber receber quem nos visita e alimentar a alma dos mourenses e aquilo que temos de melhor. E isso não se consegue quantificar. Em termos de camas subimos 17% no final de 2017 e este ano e vamos continuar a crescer. O Convento do Espinheiro vem acrescentar mais valor, a empresa gestora, com o Convento do Carmo. Está em função também um projecto de hotel de 4 estrelas e temos muita gente jovem a procurar investir em alojamento local. Moura vai continuar a crescer de forma sustentável, isso é muito importante, sem megalomanias.”

Sobre se Moura é um concelho com atractividade, o edil afirma que “Moura é atractiva, tem uma estratégia muito bem definida em termos de turismo, e através desta fusão de ideias à volta do náutico, natureza e educação, esta atractividade vai cimentar nos próximos anos e vamos continuar a  crescer. Com os nossos. Criar emprego em Moura.”