Ourique defende a criação de plataforma logística no concelho, melhoramento das acessibilidades e maior valorização do mundo rural

Está a decorrer a audição pública do Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030, elaborado pelo Dr. António Costa e Silva, a pedido do Governo de Portugal.

Neste sentido o Município de Ourique, no distrito de Beja, enviou um contributo onde defende um conjunto de medidas, que no entender da autarquia podem ajudar a melhorar as condições económicas e sociais da região.

No seu contributo, Ourique defende que com o conjunto de recursos financeiros que estarão disponíveis “ estão criadas as condições políticas e financeiras para dar um efetivo conteúdo à vontade política da valorização do Interior, à intenção emergente da atual crise sanitária de gerar maior capacidade produtiva de bens essenciais em contexto de emergência e à concretização de impulsos sustentados que respondam aos desafios estruturais, da demografia às alterações climáticas, da sustentabilidade ambiental à transição digital.”.

O Presidente da Câmara Municipal de Ourique, Marcelo Guerreiro afirma que, “Ourique e o Baixo Alentejo precisam desse impulso firme, sustentado e focado na obtenção de resultados, em áreas como as infraestruturas rodoviárias e ferroviárias, as questões da mobilidade, as questões do acesso em tempo útil das populações a serviços essenciais do Estado e à concretização de polos de dinamização das economias locais, geradoras de emprego e facilitadoras da fixação das populações.”.

O Autarca sublinha a importância das seguintes linhas estratégicas e projetos concretos:

– a ligação da Albufeira do Roxo à Albufeira do Monte da Rocha, permitindo a chegada da água do Alqueva ao Baixo Alentejo;

– a criação de uma Plataforma Logística no concelho;

– uma abordagem sustentada, integrada e com sentido de futuro para o Mundo Rural, permitindo a valorização do potencial, o reforço da digitalização dos canais de distribuição direta e o desempenho de um papel essencial em termos de reserva alimentar da produção nacional em caso de emergência;

– reforço da afirmação da fileira do porco alentejano com a geração de melhores condições para a incorporação de valor acrescentado nos produtos regionais e a criação de um Espaço Pedagógico e de Afirmação da Fileira, em linha com o modelo do Museu do Presunto, de Jabugo, em Espanha;

 a modernização e adequada manutenção das infraestruturas rodoviárias e ferroviárias que servem o concelho de Ourique;

– a partir do marco histórico da Batalha de Ourique a criação de um Centro Interpretativo da Portugalidade, que pudesse explorar a dimensão histórica da Batalha de Ourique e potenciar as expressões de excelência da Portugalidade em vários setores produtivos, em vários exemplos de portugueses que se afirmaram no Mundo e em várias influências positivas da presença de Portugal no Mundo.

 o apoio à criação de uma nova geração de Serviços Digitais de Proximidade Local que assegurem à população mais idosa a possibilidade de comunicar com familiares, com os serviços públicos ou com os eleitos locais, através de suportes digitais agilizados por funcionários municipais. De igual modo, seria importante estruturar uma Plataforma Digital de Mercados e Produtos Locais que permita a qualquer consumidor proceder à aquisição de produtos oriundos do Mundo Rural.