Produção de cereais volta, este ano, a sofrer uma quebra

De acordo com os dados recentemente divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE), prevê-se que a produção dos cereais de inverno deve estar novamente abaixo das 200 mil toneladas.

O INE refere que a colheita das áreas de cereais praganosos (trigo mole, trigo duro, centeio, cevada, aveia, triticale) ainda não terminou em todas as regiões, no entanto, as previsões são de quebra na produção.

Segundo os dados divulgados, preveem-se diminuições de produção no trigo mole e aveia (-10%) e no trigo duro e triticale (-5%). A cevada deverá manter a produção da campanha anterior e o centeio, mais rústico e semeado sobretudo no interior Norte e Centro, previsivelmente aumentará a sua produção para as 18 mil toneladas.

O INE explica que “apesar das condições meteorológicas na fase do enchimento do grão (temperaturas elevadas e precipitação pontual) terem sido favoráveis para o desenvolvimento vegetativo dos cereais de inverno, constatou-se grande variabilidade nas produções obtidas.”

Os dados referem ainda que “as produtividades foram irregulares, em especial no Baixo Alentejo, o que, conjugado com a diminuição da área instalada (exceto centeio), contribuiu para um decréscimo na produção cerealífera.”