“Queremos que Sines possa ter mais gente e ser um polo de desenvolvimento da região do Alentejo”, disse Ministro das Infraestruturas

Ministro fala sobre o Porto de Sines

O Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, afirmou que o porto de Sines deve permitir a industrialização de Portugal e se queremos “melhores salários temos de graduar o tecido produtivo”.

O Ministro falava na sessão de apresentação do Plano Estratégico da Administração do Porto de Sines 2020-2025, em Sines, onde se referiu ao Estado como “um parceiro fundamental” sobretudo numa altura em que “os investidores privados, perante a situação que hoje se vive no mundo, retraem o seu investimento”.

O que queremos em Sines é indústria. Queremos que Sines possa ter mais gente e ser um polo de desenvolvimento da região do Alentejo” disse ainda.

Pedro Nuno Santos referiu também que, para o Governo português, “o porto de Sines continua a ser uma prioridade e pode ter um papel importante neste novo mundo mais limpo, mais solidário e, já agora, num País mais desenvolvido que nós queremos continuar a apostar”.

O Ministro começou a sua intervenção dizendo que “o porto de Sines é um excelente exemplo de que o Estado e o País fazem apostas certas e importantes” e “um excelente exemplo da importância do investimento público, para a recuperação e para o desenvolvimento do País”.

Para o Ministro, o porto de Sines foi uma aposta pública “que correu bem» porque «permitiu em pouco tempo termos um porto novo mas que já é, hoje, o maior do País e um dos principais portos da União Europeia e Península Ibérica”.

Que esse investimento sirva para nos mudarmos a forma como nós vivemos, como nós nos relacionamos e como a nossa economia funciona”, afirmou Pedro Nuno Santos, referindo ainda a importância do porto de Sines para os desafios “da descarbonização, da digitalização e da industrialização”.