Saiba os concelhos e as freguesias do Alentejo onde é obrigatório vacinar as ovelhas para prevenir a língua azul

A Direção-Geral de Alimentação e Veterinária emitiu recentemente o Edital n.º 50 da Língua Azul, de 26 de Abril de 2019, que determina o fim do período sazonalmente livre de vetor, com as consequentes alterações às regras de movimentação animal.

De acordo com o referido edital, mantém-se uma única zona de restrição, para os serótipos 1 e 4 da língua azul, que abrange a totalidade do território de Portugal Continental, mantendo-se em vigor as medidas para controlo deste serótipo.

A DGAV determina ainda que “é obrigatória a vacinação contra o serotipo 1 do vírus da língua azul, dos ovinos existentes em todos os concelhos e freguesias do Alentejo mediante a primovacinação ou revacinação anual com vacina inactivada, do efectivo ovino reprodutor adulto e dos jovens destinados à reprodução, a partir dos 6 meses de idade.”

É ainda determinado que “é obrigatória a vacinação contra o serotipo 4 do vírus da língua azul, dos ovinos existentes nos concelhos e freguesias indicados em baixo, mediante a primovacinação ou revacinação anual com vacina inactivada, do efectivo ovino reprodutor adulto e dos jovens destinados à reprodução, a partir dos 6 meses de idade.”

Recordamos que a língua  azul  ou  febre  catarral  ovina  é  uma  doença  epizoótica  de  etiologia  viral que  afecta  os ruminantes,  com  transmissão  vectorial,  incluída  na  lista  de  doenças  de  declaração  obrigatória nacional e europeia e na listada Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Em  Outubro  de  2018  foi confirmado o  ressurgimento do  serotipo 4  do  vírus da língua azul, no concelho de Coruche na região de Lisboa e Vale do Tejo, ausente de Portugal desde Outubro de 2013,  o  que  determinou  a  adaptação  da  zona  de  restrição  e  das  medidas  de  controlo implementadas.