Seis municípios alentejanos iniciam esta semana Projectos-piloto para cuidadores informais

Começaram, esta segunda-feira, a ser implementados os seis projectos-pilotos do Alentejo previstos no Estatuto do Cuidador Informal.

A partir desta semana os cuidadores informais residentes nos territórios dos projectos-piloto podem pedir o estatuto de cuidador informal junto dos serviços da Segurança Social.

De acordo com a informação disponibilizada, ao abrigo dos projectos-piloto, os cuidadores informais principais podem requerer o novo Subsídio de Apoio ao Cuidador Informal, que assume como valor de referência 1 IAS (438,81 euros), e que será variável em função dos rendimentos.

Este projecto vai abranger 30 concelhos a nível nacional, dos quais seis da região Alentejana, nomeadamente Campo Maior, Évora, Grândola, Mértola, Mora e Moura. Aos cuidadores destes concelhos serão sinalizados profissionais de referência, da área da Saúde e da área da Segurança Social, que farão um Plano de Intervenção que inclui medidas de acompanhamento, aconselhamento, capacitação e formação para o cuidador.

Para monitorizar e avaliar os projectos-piloto, será criada uma Comissão com dois representantes das associações de cuidadores, da Saúde, da Segurança Social, da Associação Nacional de Municípios Portugueses, do sector social e solidário, e duas personalidades de reconhecido mérito e experiência de trabalho no âmbito do cuidador informal.

Os projectos-piloto terão a duração de 12 meses.

O pagamento do subsídio de apoio ao cuidador informal principal tem efeitos a 1 de Abril para os requerimentos entregues até 31 de Julho, para os casos em que a situação de elegibilidade se verificasse a 1 de Abril.

O mais visto