Serpa: Iniciou-se a Feira do Queijo do Alentejo, onde “o rei é o Queijo Serpa” afirma o autarca (c/som e fotos)

Iniciou-se, esta sexta-feira, 28 de Fevereiro, mais uma edição da Feira do Queijo do Alentejo, que decorre até dia 1 de Março, no Parque de Feiras e Exposições de Serpa, no distrito de Beja.

Cerca de 120 expositores compõem este certame onde o Queijo é rei, com especial destaque para o Queijo Serpa.

Com um programa variado, a Feira do Queijo do Alentejo conta ainda com oficinas de fabrico de queijo, exposição de ovinos e demonstrações de tosquia de ovelhas. As tasquinhas voltarão a oferecer aos visitantes gastronomia e os petiscos locais. Actividades culturais e animação musical completam o programa, destacando-se as prestações dos grupos concelhios de Cante Alentejano, Património Cultural Imaterial da Humanidade desde 2014.

Integrado na Feira decorrerá o Concurso “O Melhor Queijo da Feira do Queijo do Alentejo”, este ano com uma nova categoria, “Inovação”, que visa premiar queijos com apresentações distintas das tradicionais, valorizando a capacidade empreendedora do sector.

A cerimónia de abertura do certame decorreu esta sexta-feira, de manhã, tendo marcado presença o Presidente da Câmara Municipal de Serpa, Tomé Pires, entre outras entidades locais e regionais.

No final, ODigital.pt falou com Tomé Pires, que começou por explicar que este certame “iniciou-se há 19 anos com cerca de 30 expositores, tem vindo a crescer de forma sustentada”, acrescentando que “são cerca de 120, o aspecto mais relevante desse crescimento é que foi acompanhado pelo produto rei da feira, que é o queijo. Desses 120 expositores, mais de 50% vendem queijo, onde 43 a 44% são em exclusivo apenas vendedores de queijo. Isso dá mostra daquilo que é esta feira, principalmente no sector do queijo.”

Questionado sobre a importância do Queijo Serpa para a o desenvolvimento económico da região, o autarca refere que “a produção do queijo Serpa há muito tempo que ela é feita, obviamente. Mas nos últimos anos, tem havido alguns produtores que conseguem uma maior produção, também através de mais marketing conseguem chegar a mais lado, com os canais de exportação que vão existindo”, salientando também que “neste momento já é vendido em muitos países além de Portugal, se bem que há os pequenos produtores que acabam por vender no mercado local e depois há produtores maiores que vendem internacionalmente.”

Tomé Pires destaca o facto de “o sector ter chegado mais longe” e espera “que consigamos dar ainda uma maior dinâmica a este sector. E isso passa por haver maior produção de leite e depois haver maior e melhor articulação entre os produtores de leite e os produtores de queijo. Algumas pessoas estão com vontade de criar uma associação entre os produtores de leite e os produtores de queijo, a câmara está cá para ajudar, parece-nos uma excelente ideia. Há bons exemplos aqui em Espanha. Espero que se venha a concretizar e espero que a própria Confraria do Queijo possa vir a ser ainda mais proactiva e com essas duas vontades colectivas certamente que o Queijo Serpa chegará ainda mais longe e a mais lados. E será um garante que teremos este produto por muitos e bons anos.”

O Edil conclui dizendo que esta “feira tem como principal objectivo a promoção deste produto de excelência que é o Queijo Serpa. Obviamente que acabamos por mostrar aqui também outros produtos, mas sem dúvida que o rei é o Queijo Serpa. Mas quando juntamos tantos produtores de queijo, produtores de leite em algumas sessões técnicas que temos, gente do sector que vende equipamentos, temos o sector aqui reunido e é uma boa altura para promover essas articulações e tentamos apresentar as pessoas umas às outras e assim criar pontes entre quem produz queijo e quem produz leite.”

Fique de seguida com algumas imagens da inauguração da feira, numa reportagem de Hugo Calado:

O mais visto