A Paz…

Não é por mero acaso que Jesus é o príncipe da paz como também não é coincidência ser esta a saudação usada por Cristo no encontro com os seus discípulos nos dias após a Sua Ressurreição! Que a Paz esteja connosco é o seu desejo perpetuado pelos séculos dos séculos!

A ausência da Paz não permite ter qualidade de vida, não ter paz impede de reconhecer o outro tal como é com os seus defeitos, os seus fardos, as suas dores, não ter paz leva-nos à intransigência da perfeição que não pode estar mais longe de Jesus, essa condição aprisiona-nos dentro do nosso ego e a possibilidade de vislumbrar algo exterior é inexistente; falar de paz sem primeiro não limar as arestas pessoais é uma utopia, para ascender ao universo todos os seus membros devem gozar de uma harmonia conjunta!

Hoje em dia vivemos um clima ambíguo cuja Paz é uma graça que poucos saboreiam; sejam as questões políticas, religiosas, sociais e até mesmo humanas, todas se resumem a um único motivo PODER. E assim em pleno século XXI assistimos suspensos à morte de milhares e milhares de seres humanos morrer de fome, ou serem vítimas de perseguição, como também somos vítimas de demência radical, da corrupção, do fanatismo, de violência ao desbarato, a guerra social instaurada é um antídoto à desejada Paz…

A nossa Paz só poderá ser restituída quando percebermos que o caminho passa na “estrada das Bem-Aventuranças” foi esta a chave que o Papa Francisco mostrou ao mundo estes dias na sua visita á capital do Islão perante os seus líderes e o mundo cristão, ter em mente: Paz visa a simbiose da diferença na sua verdadeira aceitação!

Boa semana a todos na paz de Cristo!