Todos por lá passamos – adolescência

A adolescência é um período do desenvolvimento humano caraterizado como um processo complexo de transformações entre o ser criança e o ser adulto. Em que o individuo começa a preparar-se para a autonomia mas simultaneamente precisa de apoio, de proteção e orientação da família. Deixa de ter os privilégios atribuídos às crianças e começa a assumir responsabilidades de adulto. É um período em que “aprende” formas de se relacionar com os outros, testa as suas capacidades mas ainda com algum grau de dependência. Na adolescência é dada maior importância aos pares em detrimento dos familiares, surgem até momentos de “medir forças” com os pais, pela necessidade de autoafirmação. A ambivalência é uma constante na vida do adolescente, devido à indefinição do seu estatuto social.

A adolescência sendo um período de experimentação, torna-se o momento inicial da exploração da sexualidade. É um período de riscos que pode levar à aquisição de vulnerabilidades. É uma fase de transições e conflitos na qual também o comportamento sexual está suscetível a influências da sociedade, pelas crenças e hábitos socioculturais da comunidade onde estão inseridos.

Os pais são importantes na definição da sexualidade dos filhos, pela função que desempenham na formação da personalidade em concomitância com a transmissão de valores, com maior influência nos primeiros anos de vida. Pais que lidam bem com a sexualidade contribuem para vivências saudáveis dos filhos. É necessário que os pais dialoguem abertamente com os filhos sobre sexualidade mas com sapiência e que não os deixem apenas procurar conhecimento no meio dos pares, que como eles nada sabem, ou nas redes sociais onde a informação tem que ser bem seleccionada.

A sexualidade envolve afectos, sentidos, desejos, comunicação e não somente sexo.

A diminuição da idade de início de práticas sexuais, o aumento do número de parceiros, e a ausência ou o uso incorrecto do preservativo são factores que possibilitam o aumento da transmissão de doenças sexuais, gravidezes precoces e indesejadas com repercussões ao longo da vida.

As saídas nocturnas iniciam-se cada vez mais precocemente, permitindo o acesso fácil a substâncias psicoactivas e álcool, que associados à persistência de comportamentos sexuais desprotegidos causam preocupação.

É imperativo a contribuição das instituições competentes para aumentar a literacia em saúde.

Os estudos mostram que ser detentor de melhores conhecimentos levam a um adiamento do início das relações sexuais e à sua vivência de forma mais gratificante, e consequentemente a comportamentos menos desviantes.

Adolescentes com melhores conhecimentos, procuram mais os serviços de saúde e os seus profissionais e, adoptam mais facilmente comportamentos preventivos.