Turismo Seguro

A GNR realizou na semana passada, em todo o território nacional, a “Operação Turismo Seguro”, promovendo um conjunto ações de sensibilização, dirigidas aos turistas, sobre procedimentos de segurança a adotar durante o seu período de descanso ou lazer.

Esta operação que a GNR realiza todos os anos, aconteceu dias depois de Portugal ser eleito o melhor destino turístico europeu pelo terceiro ano consecutivo, conforme de conta o JN de 8 de junho, no artigo “Portugal volta a conquistar o “óscar” de melhor destino da Europa”, tendo pelo terceiro ano consecutivo vencido os World Travel Awards europeus, cujos prémios foram anunciados na gala que decorreu no Funchal, onde foram ainda premiados, entre outros, a Ilha da Madeira  como melhor ilha, a cidade de Lisboa, o Algarve, a TAP, a Douro Azul, a Dark Sky Alqueva e os Passadiços do Paiva, sendo no total 41 os destinos portugueses, galardoados com prémios europeus e nacionais.

Todos estes prémios e visibilidade têm contribuído para o aumento do turismo nacional, sendo a hotelaria e o turismo responsáveis por 51,5% das exportações de serviços em Portugal, assumindo o título de principal sector exportador do País. Tem também um peso de 18% nas exportações totais, de acordo com dados de 2018 publicados no site do Turismo de Portugal e reportados pela Mercer.

E numa altura em que a segurança é cada vez mais o principal factor de decisão na escolha do destino de férias, torna-se necessário manter os atuais níveis de segurança em Portugal, nomeadamente na zona do país mais turísticas, como é o Algarve, e por isso foi apresentado na semana passada o programa “Algarve Seguro 2019”, conforme noticiado pela TVI no dia 22 de junho na peça “Governo reforça meios para ‘um Algarve seguro’” ou no artigo do DN também de 22 de junho denominado “MAI garante Algarve preparado para manter “tendência clara” de redução da criminalidade”, onde foi referido pelo Ministro da Administração Interna, que “Portugal é hoje considerado um dos países mais seguros do mundo, com uma evolução muito positiva nos últimos anos. O Algarve tem acompanhado essa tendência clara de redução dos índices de criminalidade geral e de criminalidade grave ou violenta”.

Na apresentação do programa “Algarve Seguro 2019”, a GNR anunciou que o Comando Territorial de Faro “terá um reforço permanente de cerca de 200 militares, apoiados por quatro binómios cinotécnicos e quatro patrulhas a cavalo, enquanto 500 militares estarão destacados para os grandes eventos, como a Concentração de Motos de Faro, em julho, e a Supertaça de futebol entre Benfica e Sporting, em agosto. Está igualmente previsto o patrulhamento misto com a Guardia Civil de Espanha, a Gendarmerie Nationale (França) e os Carabinieri (Itália). O dispositivo especial de combate aos incêndios prevê um nível de empenhamento de 615 operacionais, com quatro dezenas de equipas de vigilância e 66 equipas de combate, apoiados por 148 recursos técnicos terrestres”.

Verifica-se assim, que Portugal beneficia de uma boa imagem, no que diz respeito à segurança, sendo prova disso o terceiro lugar nos países mais pacíficos do mundo, de acordo com o “The 2019 Global Peace Index” e por isso a GNR continua a inovar, para que os elevados níveis de segurança se mantenham, nomeadamente na região mais turística do país, onde é sua a responsabilidade da maioria desse território, gerindo de forma eficaz e eficiente os recursos materiais e humanos que tem à sua disposição.

Mas esta aposta da GNR na segurança e apoio aos turistas, não é de agora, existindo essa preocupação desde 2006, ano em que nasceu o Programa Especial de Policiamento de Proximidade/comunitário “Turismo Seguro”, com o objetivo de garantir a segurança de pessoas e bens nos locais de maior concentração de pessoas, nomeadamente concertos, festas e romarias e zonas Turísticas, proporcionando o necessário sentimento de segurança e proximidade, em demonstração plena de uma Guarda moderna, colaborante e pró-ativa, através de equipas especializadas e formadas que devido às suas caraterísticas de equipas mistas (Auto, Ciclo, Moto e Apeado) podem atuar praticamente em todos os locais e com uma versatilidade assinalável.

Na génese do programa Turismo Seguro, esteve o programa “Tourist Support Patrol”, que nasceu no 2º Esquadrão, do ex-Regimento de Cavalaria, onde foram formados os primeiros militares direcionados para o apoio aos turistas, não tendo faltado por isso a formação em línguas estrangeiras, e sido empenhados pela primeira vez na “Operação Verão Seguro 2006”, operação que a GNR executa todos os anos entre junho e setembro, em todo o território nacional, com a missão de intensificar as ações de patrulhamento, apoio e fiscalização, dando particular relevo aos locais de veraneio mais frequentados da orla marítima, principais eixos rodoviários, festas, romarias e eventos de grande dimensão, como os concertos de verão.

Este programa tem cariz marcadamente preventivo tem como objetivo intensificar o policiamento de proximidade/comunitário nas zonas de maior densidade populacional, promovendo o contacto com os cidadãos, sensibilizando-os para adoção de comportamentos para prevenir os potenciais riscos e perigos da criminalidade associada ao turismo, reforçar a corresponsabilização de todos os parceiros nacionais e locais ligados ao setor do turismo, na promoção da segurança e na proteção dos direitos de todos os turistas, transformando estes parceiros em Interlocutores Locais de Segurança, possibilitando, desta forma, uma integração mais efetiva da comunidade nas questões de segurança e da prevenção criminal.

Aproveitamos para relembrar os habituais conselhos: – Não ostentar joias, relógios ou outros objetos de valor elevado; – Nunca juntar os códigos e os cartões de crédito; – Não ter todo o dinheiro, telemóvel e cartões num só sítio. Separar os locais onde os guarda; – Usar roupa que tenha bolsos interiores com fecho, de forma a dificultar o furto por carteiristas; – Usar as mochilas no peito; – Evitar andar sozinho em zonas desertas e em horas de menor afluência de pessoas; – Na residência de férias e caso a habitação tenha cofre, guardar aí os objetos mais valiosos ou suscetíveis de furto; – Ao sair da habitação, verificar se janelas e portas ficam bem fechadas/trancadas; – Durante a noite, não dormir de janelas abertas; – Nunca deixar objetos de grande valor à vista, sendo que este cuidado ainda é mais importante quando o quarto/habitação está acessível da rua ou está situada no rés-do-chão; – Caso a residência seja alvo de furto, informar as autoridades assim que possível; – Nunca deixar objetos à vista no interior do automóvel; – Ao abandonar o veículo, certificar-se que este ficou trancado e com os vidros fechados; – Após estacionar, não tirar objetos do habitáculo para a mala do veiculo (deverá fazê-lo antecipadamente); – Caso seja vítima de furto, informar imediatamente as autoridades; Na Praia, levar o mínimo indispensável para a praia; – Não ostentar objetos de valor; – Evitar deixar os objetos pessoais visíveis quando for à água; – Se possível, solicitar a um conhecido que vigie os seus pertences.

E terminamos concluindo que sem segurança não há turismo.