“Tudo o que se passar neste concelho, a responsabilidade é sempre minha que sou presidente”, diz autarca de Borba (c/som)

Entre os dias 9 e 17 de Novembro, a cidade de Borba recebeu mais uma edição da Festa da Vinha e do Vinho.

Um certame que contou com muita animação que vai desde os espectáculos musicais em palco à animação de rua e às provas desportivas, tasquinhas e a excelente gastronomia, produtos regionais certificados, azeite, queijos, enchidos, entre outros, artesanato e provas de vinhos.

festa que correu como nós queríamos, uma festa que correu bem

No balanço final da festa, o Presidente da Câmara Municipal de Borba, António Anselmo, começou por dizer que a “festa que correu como nós queríamos, uma festa que correu bem”.

No discurso que proferiu na cerimónia de encerramento, António Anselmo aproveitou para deixar uma palavra especificamente para os Borbenses, dizendo que “quando chegámos em 2013, esta festa que aqui está, estava praticamente morta, nós entendemos que devíamos fazer entradas gratuitas, entendemos que devíamos trazer o vinho lá de cima cá para baixo e entendemos que quem devia vender o vinho eram as adegas, não era a câmara. Esses passos permitiram que desde 2013 as coisas evoluíssem como nós queríamos”.

“Imaginem o que conseguíamos fazer com 7 milhões? Fazíamos uma Borba nova”

Mais politicamente, o autarca acrescentou ainda que “as pessoas de Borba perguntam o que foi feito em seis anos, desde que a gente [MUB] cá está, e eu vou-vos dizer que pagámos dividas, pagámos quase 7 milhões de euros de dívida e imaginem o que conseguíamos fazer com 7 milhões? Fazíamos uma Borba nova, mas fazemos aquilo que estamos a fazer como queremos.”

Neste discurso, António Anselmo revelou que “em 2020, se tivermos hipótese de fazer um empréstimo, vamos arranjar a estrada que vai de Rio de Moinhos para Estremoz, a estrada que vai da Orada para Estremoz e para Monforte, a estrada que vai de Alcaraviça para a Aldeia de Sande, iremos arranjar a estrada em frente ao cemitério, iremos arranjar o adarve da muralha, iremos fazer o centro de BTT, iremos fazer uma casa de apoio social, iremos fazer o arranjo completo do pólo industrial da Orada e digo-vos que ao fim de 30 anos, a  ETAR de Rio de Moinhos é uma realidade.”

“Tudo o que se passar neste concelho, a responsabilidade é sempre minha que sou presidente”

O edil borbense concluiu dizendo que “não estou interessado em ser Presidente de Câmara, a minha posição é sempre a mesma, trabalhar e servir o povo de Borba”, acrescentando que “isto só é possível com uma equipa boa e só é possível com estes dois vereadores [Quintino Cordeiro e Joaquim Espanhol], que são pessoas que gostam tanto ou mais de Borba do que eu, são pessoas aplicadas e dedicadas e muitas vezes são mal julgadas e tudo o que se passar neste concelho, a responsabilidade é sempre minha que sou presidente, agora nunca me vou esquecer daquilo que corre bem ou corre mal, correndo bem sou assim, corram mal sou assim e pronto para assumir as responsabilidades.”

Recomendado