Turismo: Alentejo foi a região do país que registou a menor queda de dormidas em Junho

Dormidas no Alentejo

O setor do alojamento turístico registou 493,5 mil hóspedes e 1,1 milhões de dormidas em junho de 2020, correspondendo a variações de -82,0% e -85,2%, respetivamente (-94,8% e -95,8% em maio, pela mesma ordem), segundo os dados agora divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas.

Ainda segundo os dados agora revelados, as dormidas de residentes recuaram 59,7% (-86,6% em maio) e as de não residentes diminuíram 96,2% (-98,8% em maio).

Os proveitos totais registaram uma variação de -88,5% (-97,5% em maio), fixando-se em 53,4 milhões de euros. Os proveitos de aposento atingiram 42,0 milhões de euros, diminuindo 88,2% (-97,1% no mês anterior).

No que diz respeito ao Alentejo, de acordo com os dados do INE, foi a única região do país onde a redução das dormidas em Junho foi abaixo dos 70%, registando uma redução de 48,9%, registando assim 14,7% do total de dormidas do país.

Em Junho, o Alentejo também foi uma das regiões com menores diminuições do número de dormidas de residentes (-31,6%), sendo que relativamente a dormidas de não residentes a diminuição foi de 85,1%.

No que respeita à estada média nos alojamentos turísticos, o Alentejo registou uma média de 2,19 noites, ou seja, acima da média nacional que é de 2,15 noites, em Junho.

No Alentejo, o mercado nacional foi identificado por 61,4% dos estabelecimentos, seguindo-se o mercado espanhol (referido por 38,6% dos estabelecimentos);

Relativamente aos proveitos, todas as regiões registaram decréscimos expressivos nos proveitos em junho, tendo no Alentejo a redução total sido de -53,2% e de -49,1% nos de aposento.