União Distrital de IPSS’s de Évora promoveu encontro e assinou protocolo de voluntariado universitário (c/som e fotos)

Decorreu em Évora, esta quarta-feira (22 de Janeiro), o IV Encontro das IPSS do Alentejo, sob o tema “Prevenção, Sustentabilidade e Inovação”.

Um evento que contou, na sessão de abertura, com o Presidente da UDIPSS, Tiago Abalroado, o director do Centro Distrital da Segurança Social, José Ramalho, do presidente do Secretariado Regional da União das Misericórdias e ainda Gonçalo Simões de Almeida, autor do livro “Guia das Exigências em Estabelecimentos de Apoio Social e IPSS”.

Pela manhã decorreu ainda com uma palestra ministrada pelos advogados da KGSA, Gonçalo Simões de Almeida e José Manuel Simões de Almeida, que explicaram “como gerir um procedimento de inspecção numa IPSS”. Um tema que interessou bastante aos presentes, onde se contaram casos e reacções reais.

Pela tarde decorreu a assinatura de um protocolo entre a UDIPSS e a Universidade de Évora que visa o voluntariado nas instituições sociais. Mas o ponto alto deste encontro foi a apresentação pública do projecto “UDIPSS-Évora | Residence & Services”, um novo edifício que nascerá no coração da capital alentejana e que integrará, além dos serviços UDIPSS-Évora, uma residência para estudantes universitários, um auditório, salas multiusos, um café-concerto e espaços destinados a actividades de promoção do sector social e solidário e a acções de intercâmbio entre a Academia e as IPSS.

ODigital.pt esteve presente neste encontro e falou com Tiago Abalroado, Presidente da UDIPSS (União Distrital das Instituições de Solidariedade Social), que nos falou um pouco do protocolo assinado, dizendo que “este é um protocolo que incentiva o voluntariado universitário e das IPSS’S. É um protocolo que envolve a Universidade de Évora e também a União Distrital das IPSS’s e a CNIS  (Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade)”.

Tiago Abalroado diz ainda que “este é um protocolo a três e o objectivo é que os estudantes possam durante o curso, independentemente da área em que estão a desenvolver a sua especialização, possam praticar o voluntariado nas IPSS’s, e que, possam através desta iniciação ao trabalho de voluntariado, em diversas áreas que vai desde a gestão à área social, em áreas onde as instituições têm intervenção, os jovens e estudantes possam contactar com esta realidade/mundo das IPSS’s e do trabalho desenvolvido. Este é o grande motor do protocolo, esperemos que seja um protocolo com bons resultados, já temos exemplos de boas práticas desenvolvidas no distrito a este nível, nomeadamente os Amigos do Hospital Espírito Santo que já tem um protocolo com a Universidade.”

O Dirigente conclui dizendo que através deste protocolo, “abrimos a possibilidade a todas as nossas 80 associadas de poderem usufruir desta dinâmica em que os voluntários integrarem em diferentes actividades, mais pontual ou regularmente, de contactarem com as dinâmicas das IPSS’s.

Recomendado