Universidade com projeto sobre a sustentabilidade do olival alentejano

No âmbito da Parceria para a Investigação e Inovação na Região Mediterrânica (PRIMA), na área da olivicultura, coordenando cientificamente o estudo em Portugal do olival Alentejano, a Universidade de Évora vê aprovado o seu primeiro projecto.

Teresa Pinto Correia e José Muñoz-Rojas, investigadores do Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas (ICAAM) da UÉ, realçam que o projeto agora aprovado, “Novel approaches to promote the SUSTAInability of OLIVE groves in the Mediterranean”, (SUSTAINOLIVE), pretende “incrementar a sustentabilidade do setor de produção de azeite e azeitona, através da implementação e promoção de um conjunto de soluções inovadoras de gestão sustentável baseadas em conceitos agoecológicos, e do intercâmbio e cocriação de conhecimento, envolvendo múltiplos atores da fileira agroalimentar, desde os produtores até os usuários finais”.

O projeto aborda um aspeto essencial da economia e o território Alentejano; a expansão e intensificação recente do olival e o impacto na sustentabilidade da paisagem e economia regional.

Liderado pela Universidad de Jaén (Espanha), o projeto conta com parceiros de Portugal, Tunísia, Marrocos, Itália e Grécia. Em Portugal, para além da UÉ, são parceiros a Herdade do Exporão e o Centro de Estudos e Promoção do Azeite do Alentejo (CEPAAL), entidade criada e 1999, sedeada em Moura, com o objetivo de valorizar e promover o azeite do Alentejo nacional e internacionalmente.

A parceria PRIMA centra-se nas temáticas dos sistemas alimentares e dos recursos hídricos, com os seguintes pilares: gestão sustentável da água em áreas áridas e semiáridas do Mediterrâneo; sistemas agrícolas sustentáveis; e cadeia de valor alimentar no desenvolvimento regional e local mediterrânico