Vendas Novas: Extraoils nega problemas ambientais e acusa autarca de “pura prepotência e declarada campanha política”

Conforme noticiámos, nas últimas semanas muito ser ter falado sobre um problema ambiental que se está a registar em Vendas Novas, a Câmara Municipal local anunciou que vai cortar encerramento do coletor de esgoto que serve a empresa Extraoils 4 The Future, Lda.

Em causa está a suspeita de um problema ambiental, que leva a um mau cheiro em toda a cidade, suspeitando-se que deriva desta empresa.

Nas últimas horas a empresa Extraoils 4 The Future, Lda emitiu um comunicado onde Pedro Silva, administrador da empresa, acusa a Câmara Municipal de Vendas Novas de “pura prepotência e declarada campanha política”, referindo-se à decisão do fecho do coletor de esgoto da empresa.

O administrador afirma que, os Técnicos da Câmara Municipal, para além de terem cortado o coletor de esgoto, vedaram também o afluente do coletor doméstico, classificando o ato “de pura ilegalidade cometido pela autarquia”.

Pedro Silva diz que a empresa que representa já fez “chegar à câmara as análises que manda fazer, quinzenalmente, a uma empresa certificada, como é de lei, e que os resultados das mesmas não coincidem com as que a autarquia afirma ter realizado ao longo de meses, mas que nunca deu conhecimento destes factos a esta empresa, nem aos vereadores da oposição, como acabou por assumir na referida reunião camarária”.

No comunicado emitido, a Extraoils “repudia e denuncia a atitude do executivo, e reitera ser o principal agente interessado dialogar e resolver qualquer problema que seja comprovado”, acrescentando que “como uma empresa cujo conceito assenta na sustentabilidade ambiental e económica, temos por princípio por em prática ações e iniciativas que vão ao encontro do bem estar e necessidades da comunidade onde nos integramos, sem necessidade de populismos, mas também à margem de servir de rampa para campanhas políticas ou de bode expiatório para intervenções públicas, com anos de atraso, como os problemas existentes nas infraestruturas do Parque Industrial de Vendas Novas.”